Pular para o conteúdo principal

01 – É Maria, a Mãe de Deus? 1ª PARTE



                               Os Erros da Igreja de Roma - parte I            


                   
                                                A Igreja Romana tem ensinado que Maria é a Mãe de Deus, Num grau tão elevado que poderemos considerá-la como uma deusa. E esta imagem de deusa é a imagem que a Igreja Romana tem apresentado para nós. As Missas e Catedrais são provas disso, seus dogmas também.

               Em contrapartida está a Bíblia Sagrada apontando Maria como uma Virgem de boa reputação a qual foi agraciada concebendo e dando a luz ao Filho de Deus.                

              “Ora, o Nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivesse antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo”. (Mt 1: 18)

                                                        Filho de José, Cristo não era, porque não foi fruto de uma relação sexual entre José e Maria. José não era o Pai Biológico de Jesus. Por outro lado Maria era a mãe Biológica de Jesus, por intermédio do Espírito Santo, porque de si mesma não poderia gerar um filho em seu ventre. Neste caso houve uma participação Divina do Espírito Santo.

                                                        Jesus tinha duas Naturezas: a Divina e a Humana. Nesse ponto entendemos que como Deus (Natureza Divina) Jesus era Filho de Deus, e não Filho de Maria, mas como Homem (Natureza Humana) era filho biológico de Maria.

                                                       Apresentar Maria como Mãe de Deus é um equivoco, porque como Deus, Jesus já existia antes da existência de Maria, é o que o Apostolo São Paulo revela para nós:
           
                           “O Qual é imagem do Deus Invisível, o Primogênito de toda a criação; Porque Nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam Principados, sejam Potestades, tudo foi criado por Ele e para Ele. E Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por Ele” (Cl 1: 15-17)

                Maria não é apresentada como Imagem do Deus Invisível, nem a primogênita da Criação, esses atributos são indicados para Jesus. Maria não existia antes dos céus e da terra, enquanto Jesus já existia antes de todas as coisas e criou todas as coisas para honra e glória dele mesmo e não para honra e glória de Maria. Todas as coisas estão debaixo do Domínio de Jesus e não debaixo do Domínio de Maria para que ela venha ser adotada como deusa.

                   O Apóstolo Pedro pregava publicamente que Jesus era o único meio de salvação. A Pregação de Pedro coloca em dúvidas a eficácia da intercessão de Maria e de outros santos canonizados pela Igreja de Romana. Nenhum apostolo pregou Maria como Mãe de Deus, embora Cristo fosse Deus, a sua divindade Ele não devia a Maria. Veja nas Palavras do apostolo São Pedro em Atos 4: 12:
 
 “E em nenhum outro há Salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”.



Resta uma intrigante pergunta: Como Maria pode ser a Mãe do Deus Filho, se ele já existia antes dela? 


                         Concordamos que Maria é mãe do Cristo Biológico, Homem, o Cristo Humano limitado como qualquer ser humano e sujeito as mesmas tentações. Todavia Discordamos que Maria seja a mãe de Cristo o Deus Encarnado, o qual a sua preexistência não se deve a Maria, nesse sentido Cristo é o Pai de Maria e não filho.  


"João 1 :1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, 
e o Verbo era Deus. 
2 Ele estava no princípio com Deus.
14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."



"Colossenses 1 :15 o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
16 porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.
17 Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas;
18 também ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência,"


                                O Maldito hábito de apresentar Maria como deusa, ou seja como 'Mãe de Deus' (dogma de Theotokos)deve-se a algumas tradições pagãs como estão no vídeo. E foi aprovado do Concilio e Éfeso no século V, justamente Éfeso, onde seu povo adora divindades femininas, mas especificamente Diane.
(veja Atos 19:23-41)
  
VEJA A SEMELHANÇA ENTRE AS IMAGENS ABAIXO E TIRE SUAS CONCLUSÕES 



Comentários

  1. Atualmente em Israel existe um critério para se saber quem é, de fato, judeu. E este critério se baseia no nascimento do indivíduo. Ou seja, somente é considerado judeu aquele que nasceu de mãe israelita. Com relação ao nascimento do Senhor Jesus Cristo, verdadeiramente não houve nenhuma participação humana em Sua geração. Nem o gameta masculino e nem o gameta feminino humanos participaram da geração divina de Jesus. O Senhor Jesus Cristo NÃO era filho biológico nem de Maria e nem de José. “Filho biológico”, tal como a ciência de hoje entende, significa, literalmente, filho com caracteres genéticos e hereditários herdados do pai ou da mãe (Genótipo), o que, absolutamente, não foi o caso do Senhor Jesus Cristo, portanto Filho biológico, como hoje o entende a ciência, NÃO se aplica a Cristo.
    Uma vez gerado, ou seja, o feto no ventre da virgem, em nada importa se o sangue que o nutriu no ventre era o de Maria ou não. Particularmente, acredito que sim, porém trata-se ali de um processo de nutrição biológica tal como o leite materno. Posteriormente haveria de se questionar se a alimentação que ingeria o Senhor Jesus, quando criança, era de origem Israelita ou não? Se ele comeu pão, trigo, de onde proveio este trigo? De Israel ou da Síria? Pergunta inútil, visto que tanto o sangue que o nutriu no ventre, como o leite que o amamentou, como a comida que ingeriu na infância, da mesma maneira nutriam um Ente total e completamente divino: 100% Deus e 100% homem. E estes nutrientes participaram de Seu crescimento.
    Primeiramente é gerado o feto, que ainda se encontra separado da parede uterina materna, posteriormente, ocorre o processo de Nidação, ou seja, o feto se implanta no útero materno a fim de receber oxigênio e nutrientes a fim de CRESCER. Tal crescimento se dá pela multiplicação celular orientada e dirigida pelo DNA DO FETO, já completamente independente de qualquer orientação genética da mãe ou do pai.
    A formação do esqueleto, por exemplo. É formado a partir do cálcio fornecido pelo sangue da mãe, porém o crescimento é auto-orientado pelos mecanismos genéticos do feto. Em nada mais interfere a mãe, geneticamente. Posteriormente, após o nascimento, esse mesmo cálcio continua a ser fornecido pela mãe, só que através do leite materno. Se o Senhor Jesus Cristo não pudesse receber nutriente algum do sangue de Maria, também não poderia receber nutriente algum enquanto era amamentado. Porém, está escrito:
    “Ora, enquanto ele dizia estas coisas, certa mulher dentre a multidão levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que te amamentaste.”Lucas 11:27 E se recebeu nutrientes da mãe, intra-útero, via placenta-corrente sanguínea, quem o recebeu foi o feto independente geneticamente e já gerado.O Senhor Jesus Cristo foi gerado por milagre, pelo Espírito de Deus, nutrido (e apenas isto) por sua mãe, o que em nada interferiu em sua divindade-humanidade, pois no ventre da virgem se encontrava um ser JÁ GERADO e que continuou assim, isto é, gerado por modo miraculoso-divino até a Sua morte e ressurreição, ou seja: Deus e Filho do Homem.Quanto ao sistema de classificação ABO e Fator Rh do sangue do Senhor Jesus Cristo, o máximo que se pode obter em torno deste assunto é especulação. Pois qual o Grupo sanguíneo de José? Qual o Grupo sanguíneo de Maria? Escolheu Deus que Jesus portasse o grupo sanguíneo ABO e Fator Rh de José ou de Maria? Embora nenhum dos dois tivesse tido NENHUMA participação em Sua geração? E se Deus escolheu outro Grupo sanguíneo para Seu Filho? Tal especulação é inútil.
    O que importa entender é que o Senhor Jesus Cristo era filho de pais judeus, LEGALMENTE, SEGUNDO A LEI DE MOISÉS, ambos da descendência de Abraão, para que se cumprisse a promessa:
    “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo.”
    Gálatas 3:16
    Edição;Luiz Dantas

    ResponderExcluir
  2. Atualmente em Israel existe um critério para se saber quem é, de fato, judeu. E este critério se baseia no nascimento do indivíduo. Ou seja, somente é considerado judeu aquele que nasceu de mãe israelita. Com relação ao nascimento do Senhor Jesus Cristo, verdadeiramente não houve nenhuma participação humana em Sua geração. Nem o gameta masculino e nem o gameta feminino humanos participaram da geração divina de Jesus. O Senhor Jesus Cristo NÃO era filho biológico nem de Maria e nem de José. “Filho biológico”, tal como a ciência de hoje entende, significa, literalmente, filho com caracteres genéticos e hereditários herdados do pai ou da mãe (Genótipo), o que, absolutamente, não foi o caso do Senhor Jesus Cristo, portanto Filho biológico, como hoje o entende a ciência, NÃO se aplica a Cristo.
    Uma vez gerado, ou seja, o feto no ventre da virgem, em nada importa se o sangue que o nutriu no ventre era o de Maria ou não. Particularmente, acredito que sim, porém trata-se ali de um processo de nutrição biológica tal como o leite materno. Posteriormente haveria de se questionar se a alimentação que ingeria o Senhor Jesus, quando criança, era de origem Israelita ou não? Se ele comeu pão, trigo, de onde proveio este trigo? De Israel ou da Síria? Pergunta inútil, visto que tanto o sangue que o nutriu no ventre, como o leite que o amamentou, como a comida que ingeriu na infância, da mesma maneira nutriam um Ente total e completamente divino: 100% Deus e 100% homem. E estes nutrientes participaram de Seu crescimento.
    Primeiramente é gerado o feto, que ainda se encontra separado da parede uterina materna, posteriormente, ocorre o processo de Nidação, ou seja, o feto se implanta no útero materno a fim de receber oxigênio e nutrientes a fim de CRESCER. Tal crescimento se dá pela multiplicação celular orientada e dirigida pelo DNA DO FETO, já completamente independente de qualquer orientação genética da mãe ou do pai.
    A formação do esqueleto, por exemplo. É formado a partir do cálcio fornecido pelo sangue da mãe, porém o crescimento é auto-orientado pelos mecanismos genéticos do feto. Em nada mais interfere a mãe, geneticamente. Posteriormente, após o nascimento, esse mesmo cálcio continua a ser fornecido pela mãe, só que através do leite materno. Se o Senhor Jesus Cristo não pudesse receber nutriente algum do sangue de Maria, também não poderia receber nutriente algum enquanto era amamentado. Porém, está escrito:
    “Ora, enquanto ele dizia estas coisas, certa mulher dentre a multidão levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que te amamentaste.”Lucas 11:27 E se recebeu nutrientes da mãe, intra-útero, via placenta-corrente sanguínea, quem o recebeu foi o feto independente geneticamente e já gerado.O Senhor Jesus Cristo foi gerado por milagre, pelo Espírito de Deus, nutrido (e apenas isto) por sua mãe, o que em nada interferiu em sua divindade-humanidade, pois no ventre da virgem se encontrava um ser JÁ GERADO e que continuou assim, isto é, gerado por modo miraculoso-divino até a Sua morte e ressurreição, ou seja: Deus e Filho do Homem.Quanto ao sistema de classificação ABO e Fator Rh do sangue do Senhor Jesus Cristo, o máximo que se pode obter em torno deste assunto é especulação. Pois qual o Grupo sanguíneo de José? Qual o Grupo sanguíneo de Maria? Escolheu Deus que Jesus portasse o grupo sanguíneo ABO e Fator Rh de José ou de Maria? Embora nenhum dos dois tivesse tido NENHUMA participação em Sua geração? E se Deus escolheu outro Grupo sanguíneo para Seu Filho? Tal especulação é inútil.
    O que importa entender é que o Senhor Jesus Cristo era filho de pais judeus, LEGALMENTE, SEGUNDO A LEI DE MOISÉS, ambos da descendência de Abraão, para que se cumprisse a promessa:
    “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo.”
    Gálatas 3:16
    Edição;Luiz Dantas

    ResponderExcluir
  3. Atualmente em Israel existe um critério para se saber quem é, de fato, judeu. E este critério se baseia no nascimento do indivíduo. Ou seja, somente é considerado judeu aquele que nasceu de mãe israelita. Com relação ao nascimento do Senhor Jesus Cristo, verdadeiramente não houve nenhuma participação humana em Sua geração. Nem o gameta masculino e nem o gameta feminino humanos participaram da geração divina de Jesus. O Senhor Jesus Cristo NÃO era filho biológico nem de Maria e nem de José. “Filho biológico”, tal como a ciência de hoje entende, significa, literalmente, filho com caracteres genéticos e hereditários herdados do pai ou da mãe (Genótipo), o que, absolutamente, não foi o caso do Senhor Jesus Cristo, portanto Filho biológico, como hoje o entende a ciência, NÃO se aplica a Cristo.
    Uma vez gerado, ou seja, o feto no ventre da virgem, em nada importa se o sangue que o nutriu no ventre era o de Maria ou não. Particularmente, acredito que sim, porém trata-se ali de um processo de nutrição biológica tal como o leite materno. Posteriormente haveria de se questionar se a alimentação que ingeria o Senhor Jesus, quando criança, era de origem Israelita ou não? Se ele comeu pão, trigo, de onde proveio este trigo? De Israel ou da Síria? Pergunta inútil, visto que tanto o sangue que o nutriu no ventre, como o leite que o amamentou, como a comida que ingeriu na infância, da mesma maneira nutriam um Ente total e completamente divino: 100% Deus e 100% homem. E estes nutrientes participaram de Seu crescimento.
    Primeiramente é gerado o feto, que ainda se encontra separado da parede uterina materna, posteriormente, ocorre o processo de Nidação, ou seja, o feto se implanta no útero materno a fim de receber oxigênio e nutrientes a fim de CRESCER. Tal crescimento se dá pela multiplicação celular orientada e dirigida pelo DNA DO FETO, já completamente independente de qualquer orientação genética da mãe ou do pai.
    A formação do esqueleto, por exemplo. É formado a partir do cálcio fornecido pelo sangue da mãe, porém o crescimento é auto-orientado pelos mecanismos genéticos do feto. Em nada mais interfere a mãe, geneticamente. Posteriormente, após o nascimento, esse mesmo cálcio continua a ser fornecido pela mãe, só que através do leite materno. Se o Senhor Jesus Cristo não pudesse receber nutriente algum do sangue de Maria, também não poderia receber nutriente algum enquanto era amamentado. Porém, está escrito:
    “Ora, enquanto ele dizia estas coisas, certa mulher dentre a multidão levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que te amamentaste.”Lucas 11:27 E se recebeu nutrientes da mãe, intra-útero, via placenta-corrente sanguínea, quem o recebeu foi o feto independente geneticamente e já gerado.O Senhor Jesus Cristo foi gerado por milagre, pelo Espírito de Deus, nutrido (e apenas isto) por sua mãe, o que em nada interferiu em sua divindade-humanidade, pois no ventre da virgem se encontrava um ser JÁ GERADO e que continuou assim, isto é, gerado por modo miraculoso-divino até a Sua morte e ressurreição, ou seja: Deus e Filho do Homem.Quanto ao sistema de classificação ABO e Fator Rh do sangue do Senhor Jesus Cristo, o máximo que se pode obter em torno deste assunto é especulação. Pois qual o Grupo sanguíneo de José? Qual o Grupo sanguíneo de Maria? Escolheu Deus que Jesus portasse o grupo sanguíneo ABO e Fator Rh de José ou de Maria? Embora nenhum dos dois tivesse tido NENHUMA participação em Sua geração? E se Deus escolheu outro Grupo sanguíneo para Seu Filho? Tal especulação é inútil.
    O que importa entender é que o Senhor Jesus Cristo era filho de pais judeus, LEGALMENTE, SEGUNDO A LEI DE MOISÉS, ambos da descendência de Abraão, para que se cumprisse a promessa:
    “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo.”
    Gálatas 3:16
    Edição;Luiz Dantas

    ResponderExcluir
  4. MUITO ÚTIL E PRECISA A INFORMAÇÃO IRMÃO LUIZ DANTAS, MUITO OBRIGADO!VOU USAR SEU COMENTÁRIO COMO UMA POSTAGEM ACRESCENTANDO IMAGEM E VÍDEO, CONFESSO QUE PUDE APRENDER CONTIGO.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MODERAÇÃO NOS COMENTÁRIOS, OS COMENTÁRIOS DE ANÔNIMOS NÃO SERÃO PUBLICADOS.

Postagens mais visitadas deste blog

Por que Jesus Cuspiu antes de curar o Cego?

Mensagem com base em João 9: 1-23


I – Qual causa da Cegueira do Homem?
 Este nascera cego curiosamente para Glória de Deus, os discípulos procuravam uma causa para a cegueira e perguntaram: “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?”. Fizeram a pergunta possivelmente com base em Êxodo:
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.Êxodo 20:4-5
1)Cegueira como maldição hereditária, por parte dos pais; 2)Cegueira Por causa dos próprios pecados. 3)Cegueira para que se Manifeste as Obras de Deus
Jesus descartou as duas primeiras possibilidades, com seguinte resposta:
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
João 9:2-3

              O Homem era cego para que em hora oportuna se manifestasse nele a Obra de Deus.

II – Jesus contrariando os Homens                                    …

Hagar e Ismael no Deserto- Deus Ouve

(Texto Gn. 21; 14-21)                              Abraão levanta pela madrugada, toma pão e um odre de água, dá para Hagar colocando as coisas no ombro dela, pega o menino de aproximadamente 17 anos entrega-o para Hagar e despede a ambos, e despede. Hagar sai uma direção definida no deserto de Berseba, e sai errante. (Gn. 21; 14)
                         Uma dor e uma confiança tremenda dentro de Abraão. Ele sabia que nem Hagar e nem Ismael iriam morrer no deserto, porque Deus havia lhe garantido que faria de Ismael uma grande nação, e para isso Deus supriria todas as necessidades.                          Por outro lado Sara sua esposa estava muito incomodada, com o desprezo de Ismael em relação à Isaque, estava surgindo um clima muito comprometedor entre Ismael e Isaque, o que poderia cedo ou tarde gerar graves conseqüências. O próprio Deus aceitou a proposta de Sara, porque Deus havia traçado um Propósito na vida de Ismael à parte da casa de Abraão. Mais tarde tudo indica que casa de…

Cabelo da Mulher Cristã- Nove (09) Lições Bíblicas

Referencias: 1ª Co. 11:4-15/ 1ª Tm. 2: 9,10/ 1ª Pe. 3: 1-3

                           Três passagens bíblicas utilizadas por “teólogos” radicais, com estilo farisaico, para proibir as tranças, cortes e frisados nos cabelos, além do uso de jóias.  Mas em destaque nesta postagem, é o cabelo da Mulher Cristão. Temos postagens que tratam do uso de jóias nos seguintes sites:
Deus condena o uso de Jóias?  
http://prjefersonfabiano.blogspot.com.br/2011/10/deus-condena-o-uso-de-joias.html
O Uso de Jóias segundo Paulo e a Bíblia
http://prjefersonfabiano.blogspot.com.br/2013/01/o-uso-de-joias-segundo-paulo-e-biblia.html
Nove Lições sobre o Cabelo da Mulher Cristã segundo a Bíblia:
1.Cabelo longo da mulher cristã lhe é Honroso 2.Cabelo tosquiado/rapado na mulher cristã é Desonroso 3.Cabelo longo da mulher é sinal de poderio sobre os anjos 4.Cabelo longo em lugar do véu 5.Um traje modesto com pudor é mais importante que uma trança atraente 6.O Enfeite interior da mulher cristã vale mais do que um enfe…