Pular para o conteúdo principal

A Importancia do Perdão - Parte II - Amor Incondicional ao Próximo

Amor aos Inimigos


Até então uma única alternativa explicita para a vingança era, olho por olho, dente por dente, (Êx. 21: 24/ Lv. 24: 20/ Dt. 19: 21). Jesus torna explicita uma segunda alternativa, qual? Deixar Deus executar a vingança, pois a Vingança não nossa propriedade, mas pertence a Deus (Rm. 10: 30) para isso é preciso não resistir ao perverso e sempre servir (servir não no sentido de ser capacho) o adversário, fazendo assim estamos amontoando brasas na cabeça dele (Pv. 25: 21,22/ Rm. 12: 20). Afinal de contas Maior é aquele que serve, e não aquele que é servido. (Mc. 9: 34-37)


Ouvistes o que foi Dito: Amarás o teu Próximo, e Odiarás o teu Inimigo... (Mt. 5: 43) Pois Bem! Jesus não disse ‘Está escrito’, de fato Odiarás o teu inimigo não está escrito em lugar algum do Velho Testamento, isso não é mandamento de Deus, foi um acréscimo na tradição dos judeus, ensinado nas Sinagogas, Jesus combate esse acréscimo, pregando o contrário:


“Eu, porém, vos digo: Amai vossos Inimigos e Orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos de vosso Pai Celeste, porque Ele faz nascer o seu Sol sobre os Maus e sobre os Bons, e vir Chuvas sobre os Justos e Injustos.” (Mt. 5: 44,45).


Amar os Inimigos é uma estratégia de Guerra, a oração em favor dos Inimigos é uma Arma letal contra os principados, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais, nos lugares celestiais (Ef. 6: 12) estas entidades malignas citadas por Paulo, manipulam as pessoas para nos atacar e nos ferir, nossa guerra não é contra a carne e contra o sangue.



A Oração de um justo é poderosa em seus efeitos, aniquila todas as obras satânicas, que oprimem as pessoas. Neutraliza as fontes de ataque ocultas, e abala a estrutura do Quartel General do Diabo. Orando por nossos ‘inimigos’ eles serão libertos de influencias malignas, e serão nossos aliados. Em situação de recusa de se aliar conosco, façamos sempre o bem, combatendo o mal com o bem, a pedra e dura tanto bate até que fura. Um dia se rende, com tantas bondades, favores imerecidos, benignidade, estaremos protegidos nas mãos do Altíssimo.

Fazendo Bem para quem nos faz o Mal, tornamo-nos verdadeiros Filhos do Pai Celestial, gozaremos de tantos privilégios! Que nem podemos contar ou calcular. Se Deus faz o seu Sol Brilhar sobre os Maus e sobre os Bons, manda sua chuva sobre os justos e sobre os injustos, quem somos nós para fazer o contrário.

Amor aos Inimigos


                                   Até então uma única alternativa explicita para a vingança era, olho por olho, dente por dente, (Êx. 21: 24/ Lv. 24: 20/ Dt. 19: 21). Jesus torna explicita uma segunda alternativa, qual? Deixar Deus executar a vingança, pois a Vingança não nossa propriedade, mas pertence a Deus (Rm. 10: 30) para isso é preciso não resistir ao perverso e sempre servir (servir não no sentido de ser capacho) o adversário, fazendo assim estamos amontoando brasas na cabeça dele (Pv. 25: 21,22/ Rm. 12: 20). Afinal de contas Maior é aquele que serve, e não aquele que é servido. (Mc. 9: 34-37)

                                   Ouvistes o que foi Dito: Amarás o teu Próximo, e Odiarás o teu Inimigo... (Mt. 5: 43) Pois Bem! Jesus não disse ‘Está escrito’, de fato Odiarás o teu inimigo não está escrito em lugar algum do Velho Testamento, isso não é mandamento de Deus, foi um acréscimo na tradição dos judeus, ensinado nas Sinagogas, Jesus combate esse acréscimo, pregando o contrário:



“Eu, porém, vos digo: Amai vossos Inimigos e Orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos de vosso Pai Celeste, porque Ele faz nascer o seu Sol sobre os Maus e sobre os Bons, e vir Chuvas sobre os Justos e Injustos.” (Mt. 5: 44,45).

                                   Amar os Inimigos é uma estratégia de Guerra, a oração em favor dos Inimigos é uma Arma letal contra os principados, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais, nos lugares celestiais (Ef. 6: 12) estas entidades malignas citadas por Paulo, manipulam as pessoas para nos atacar e nos ferir, nossa guerra não é contra a carne e contra o sangue.

                                   A Oração de um justo é poderosa em seus efeitos, aniquila todas as obras satânicas, que oprimem as pessoas. Neutraliza as fontes de ataque ocultas, e abala a estrutura do Quartel General do Diabo. Orando por nossos ‘inimigos’ eles serão libertos de influencias malignas, e serão nossos aliados. Em situação de recusa de se aliar conosco, façamos sempre o bem, combatendo o mal com o bem, a pedra e dura tanto bate até que fura. Um dia se rende, com tantas bondades, favores imerecidos, benignidade, estaremos protegidos nas mãos do Altíssimo.   

                                       Fazendo Bem para quem nos faz o Mal, tornamo-nos verdadeiros Filhos do Pai Celestial, gozaremos de tantos privilégios! Que nem podemos contar ou calcular. Se Deus faz o seu Sol Brilhar sobre os Maus e sobre os Bons, manda sua chuva sobre os justos e sobre os injustos, quem somos nós para fazer o contrário.  

                            

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que Jesus Cuspiu antes de curar o Cego?

Mensagem com base em João 9: 1-23


I – Qual causa da Cegueira do Homem?
 Este nascera cego curiosamente para Glória de Deus, os discípulos procuravam uma causa para a cegueira e perguntaram: “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?”. Fizeram a pergunta possivelmente com base em Êxodo:
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.Êxodo 20:4-5
1)Cegueira como maldição hereditária, por parte dos pais; 2)Cegueira Por causa dos próprios pecados. 3)Cegueira para que se Manifeste as Obras de Deus
Jesus descartou as duas primeiras possibilidades, com seguinte resposta:
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
João 9:2-3
              O Homem era cego para que em hora oportuna se manifestasse nele a Obra de Deus.

II – Jesus contrariando os Homens                                    …

Hagar e Ismael no Deserto- Deus Ouve

(Texto Gn. 21; 14-21)                              Abraão levanta pela madrugada, toma pão e um odre de água, dá para Hagar colocando as coisas no ombro dela, pega o menino de aproximadamente 17 anos entrega-o para Hagar e despede a ambos, e despede. Hagar sai uma direção definida no deserto de Berseba, e sai errante. (Gn. 21; 14)
                         Uma dor e uma confiança tremenda dentro de Abraão. Ele sabia que nem Hagar e nem Ismael iriam morrer no deserto, porque Deus havia lhe garantido que faria de Ismael uma grande nação, e para isso Deus supriria todas as necessidades.                          Por outro lado Sara sua esposa estava muito incomodada, com o desprezo de Ismael em relação à Isaque, estava surgindo um clima muito comprometedor entre Ismael e Isaque, o que poderia cedo ou tarde gerar graves conseqüências. O próprio Deus aceitou a proposta de Sara, porque Deus havia traçado um Propósito na vida de Ismael à parte da casa de Abraão. Mais tarde tudo indica que casa de…

Zacarias, pai de João Batista- Parte 1 (Personagens Bíblicos)

Dados Gerais sobre Zacarias, pai de João Batista  

A postagem visa facilitar estudos sobre a pessoa exemplar de Zacarias, pai de João Batista, deixando claro, logo no principio que admite -se cópias desta postagem desde se cumpra as normas dos Direitos Autorais.

Zacarias (do hebraico זְכַרְיָה, Zekariyah, "Deus se lembrou")