Pular para o conteúdo principal

OS EVANGELHOS APÓCRIFOS


OS EVANGELHOS APOCRIFOS

Outros Tentaram Escrever Evangelhos 
(Lc. 1:1-4)
A História Secreta do Cristianismo? 
“Visto que muitos houve que empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, conforme nos transmitiram os que desde o principio foram deles Testemunhas Oculares, e Ministros da Palavra, Igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em fôste instruído.” 
(Lucas 1:1-4)

                  Visto que muitos houve que empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram... Muitos tentaram escrever os fatos em ordem, mas como há diversidades, e multiplicidade de Benção é enorme, as dificuldades apareceram. Mateus procurou trazer a memória as Profecias Messiânicas, contidas no Velho Testamento, para convencer aos Judeus de coração endurecido que Cristo é o Filho de Deus e o Messias prometido. Enquanto Marcos escreveu em plena perseguição de Nero, imperador Romano, apresentando Cristo como Servo Conquistador, Servo Sofredor e Servo Triunfante, servindo de modelo para os cristãos perseguidos, tais descrições de modo rápido e pratico. João Marcos visa o Poder do Senhor Jesus Cristo contra a força do mal. João decidiu por último escrever um Evangelho distinto dos demais, tratando da intimidade de Cristo, ele destaca o dialogo de Jesus com pessoas como Cornélio e com a Mulher apanhada em adultério, como próprio João escreveu seu propósito é apresentar Jesus como o Cristo, Filho de Deus e Salvador. (Jo. 20: 31) E Lucas está focalizado em colocar perfeitamente em ordem todos os fatos para apontar um Cristo como o Salvador Divino Universal e Filho do Homem. Para isso faz uma pesquisa minuciosa e criteriosa. Procura entrevistar pessoas ligadas a Cristo desde infância. Durante a pesquisa Lucas fica atento aos pequenos detalhes acerca da passagem terrena Mestre.       
                          Lucas 1:1-4 revela a necessidade deste Evangelho com detalhes e acontecimento em ordem cronológica. É lógico que não é todos os acontecimentos que se encontram registrado neste livro (João 21: 25) Muitos tentaram escrever um Evangelho com os acontecimentos Perfeitamente em Ordem, organizado cronologicamente, detalhado, no entanto, por motivos de zelo, cuidado e compromisso com o Mestre, decidiram nomear uma pessoa letrada, capaz, temente a Deus, que tivesse intimidade com Deus, contato os Ministros da Palavra e outras Testemunhas Oculares confiáveis do Ministério e Vida de Cristo. Pelo que entendemos Lucas foi indicado para apresentar o Mestre Jesus Cristo para todos os públicos, até para os mais exigentes. Conforme o Próprio Lucas explica que não foram poucos que tentaram o Evangelho, acredita-se que entre esses que tentaram escrever estavam os próprios apóstolos. 
                          Apenas dois apóstolos que foram testemunhas oculares Escreveram Evangelho, Mateus e João e possivelmente foram nomeados para escreverem os Evangelhos. 

                            Naquele tempo escrever sobre Jesus era uma excelente oportunidade de ganhar Dinheiro, sem o crivo da Igreja e sem usar nenhum critério com base na Sagrada escritura, gente de vários segmentos religiosos e até historiadores escreveram sobre Jesus. Alguns usaram nomes de apóstolos de Cristo para ganhar créditos do público, porém não podiam provar sua autenticidade, o conteúdo dos Evangelhos não condiziam com o Velho Testamento e estavam recheados de heresias e influenciados por seitas diversas. 

                   Desde aquele tempo autores anônimos, estranhos ao berço cristãos com o desejo de se promoverem escreveram Evangelhos avulsos e estranhos sem o consentimento e conhecimento prévio da Igreja Primitiva, a saber, dos apóstolos que ainda estavam vivos. Traziam dentro de si ensinos contrários a Doutrina de Cristo.

Analisando o perfil de cada apostolo, entendemos suas dificuldades, encontramos 04 pescadores Pedro, André, Tiago e João(Marcos 1: 16-19) Quanto aos demais se entende que Tomé, era muito cético (João 20: 27-29) sendo um cético como poderia compreender e crer nas revelações divinas? Os Apostolo Pedro e João, eram iletrados e indoutos (At. 4: 13).  Com o passar do tempo aprenderam a ler ficaram doutos, Pedro escreveu cartas à Igreja para atender as necessidades da Igreja que lhe fazia bastantes consultas, segundo alguns teólogos Pedro influenciou e ajudou muito ao Evangelista Marcos na compilação do Evangelho.  
                          Do outro lado João não era diferente, se esforçava para dar a devida atenção para as Igrejas que também lhe consultava. João escreve Evangelho e as Epistolas as Igrejas, o Evangelho escreve por insistência dos crentes, que gostaria de saber mais sobre a intimidade de Cristo, da pessoa humana e Divina de Cristo. 

                       João Escreveu um Evangelho diferente do que já havia sido escrito, tratando apenas de sua intimidade com Cristo, dos Milagres e Mensagens, que em alguns momentos estava ao lado de Pedro e Tiago. Na ilha de Patmos diante das revelações e continuação de sua amizade com o Mestre Jesus escreveu o Livro da Revelação, o Apocalipse atendendo ao pedido do próprio Senhor Jesus. João foi o único evangelista com a oportunidade de colocar o ouvido no peito de Cristo e ouvir o seu coração bater. (Jo. 13: 25) 

                          Mateus por sua vez era cobrador de impostos, profundo conhecedor Antigo Testamento, são inúmeras as profecias messiânicas do Antigo Testamento citadas no Evangelho segundo ele escreveu, cerca de 90 referencias. Havia uma necessidade de um Evangelho distinto para os judeus que acreditavam nas profecias do Velho Testamento. Mateus cita todas as profecias do Antigo Testamento cumpridas em Cristo Jesus.
   
                            Em Relação aos demais apóstolos quando se trata de proclamação do Evangelho por parte deles, pouco se sabe, porque a Escritura Sagrada se focaliza na pessoa do Pai, do Filho e do Espírito Santo. 

                          Quanto a Filipe, Bartolomeu, Natanael e Judas Tadeu, a respeito deles pouco sabemos sobre a formação intelectual deles. No entanto não temos nenhum Evangelho Sagrado com nomes deles, possuímos supostos evangelhos de Filipe, Tomé, Maria Madalena, Pedro e outros, até de Judas, o traidor. 


Os Problemas dos Evangelhos Apócrifos

A – O Evangelho de Judas
                            Os Problemas são diversos a partir de provas concretas sobre o Autor. Por exemplo, como Judas Iscariotes escreveria um Evangelho se logo após a traição ele partiu para o suicídio? 

                            A Menos que Judas tenha escrito o Evangelho antes da traição, se escrito antes da traição, como ele poderia relatar o caso se justificando do ato de traição como se já tivesse praticado o ato antes de escrever? 

                           Sabemos que Judas Iscariotes não teria tempo de escrever um Evangelho de Cristo antes da crucificação, se nenhum dos Evangelistas também não teve tempo. Afinal de contas os Evangelista sempre estavam acompanhando Cristo em suas cruzadas Evangelística, e além do mais como Judas acharia de escrever um Evangelho enquanto era o tesoureiro e acompanhava Jesus em todas as suas cruzadas?

                     Será que Judas precisaria escrever um Evangelho para se justificar da traição e depois se suicidar? Porque os Evangelista não fazem referencia a inocência de Judas, mas chamam-no de traidor? Judas escreveu este Evangelho antes ou depois da traição?

B – O Evangelho de Maria Madalena?
                         Porque Maria Madalena escreveria um Evangelho? Podemos dá credito ao Evangelho que leva o nome dela se ninguém pode provar que foi ela que escreveu? Existem vários espaços vazios no suposto Evangelho de Maria Madalena, nesses espaços vazios que foram perdidos por causa do passar do tempo, tem gente colocando o quer deseja e atribuindo a Maria Madalena. Em nenhum desses Evangelhos afirmam que Maria Madalena beijava Jesus o que eles eram casados, tudo não passa de especulação.  

                           Outros evangelhos Assim como esses Evangelhos não estão de acordo com o Velho Testamento, estão em estado deplorável com várias lacunas em seus textos, onde muitos estudiosos preenchem como querem, inventam, imaginam que estivesse escrito. As Lacunas desses evangelhos têm causado muito mal estar na Igreja, porque inventam uma serie de declarações sem provas, que são propagadas pela mídia como se fosse verdade. Esses Evangelhos se encontram em estado deplorável de conservação com vários textos incompletos e suspeitos, outros não existem, não passam de especulação.     
    
A Origem dos Evangelhos Apócrifos
                     A Curiosidade sobre a Vida e Ministério de Jesus era crescente, era milhares de milhares, um elevado número de pessoas que se rendiam á Cristo. Com a pregação dos Apóstolos e operações de Sinais e Maravilhas a cada dia crescia o número de adeptos e simpatizantes de Cristo (At. 2: 41- 43/At. 8: 13/At. 4: 28-35/ At. 5: 12-16) Escrever sobre Jesus naquele tempo rendia respeito e admiração entre os cristãos, eram muitos que gostariam de saber a respeito de Cristo, as pessoas estavam curiosas para saberem quem foi Jesus. Daí se levantava vários autores, muitos se habilitavam a escrever sobre Cristo em todos os setores da sociedade, até mesmo os irreligiosos. 

                    Nesta ocasião surgiram vários escritores e historiadores para escreverem sobre Jesus, se baseavam em boatos e não fatos expressavam suas opiniões equivocadas sobre a pessoa de Jesus, inventavam estórias sobre ELe. Todavia o Conhecimento da Escrita e leitura era privilegio de poucos, a conservação dos escritos e sua publicação era um grande desafio. O interesse de escrever sobre Jesus naquele tempo era gratificante, como ainda hoje é. Porém isso não é tarefa fácil, e não é uma tarefa impossível. Testemunhar com zelo e compromisso exclusivamente com Cristo, sem atender interesses próprios ou de outros, é nosso dever.
                                
                    Desde daquele tempo muitos tentavam escrever a biografia de Cristo para fundarem Seitas e formularem Heresias. Daí surgiu um elevado número Evangelhos apócrifos, espúrios, pela tangente, para provocarem distúrbios no centro do Cristianismo, a maioria dos ‘evangelhos’ eram escritos por leigos e gnósticos. (Gl. 1:6,7) 

                          Depois dos Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João, com a finalidade de evitar que a Igreja fosse inundada com uma chuva de Evangelhos suspeitos e desconexos foi feito um Consenso, acordo esse o qual ninguém mais escreveria nenhum evangelho além dos existentes. Caso contrário poderia causar confusão dentro da Igreja do Senhor Jesus. O Apostolo Paulo escreve um pouco sobre esse assunto, porém, o suficiente:

“Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à Graça de Cristo para outro *EVANGELHO. O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro EVANGELHO além do que já vos tenho anunciado, seja Anátema. Assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a Homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo. Mas faço-vos saber, irmãos, que o Evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo” (Gálatas 1:6-12)

                          Com toda certeza Paulo não se habilitaria a escrever nenhum Evangelho e nem escreveu diante desta declaração. Hoje são vários os evangelhos apresentados na mídia: Evangelho de Maria Madalena, Evangelho de Tomé, Evangelho de Filipe e até Evangelho de Judas, todos danificados, com várias lacunas, incompletos, suspeitos em datas e autorias, e são usados com objetivo de colocar dúvidas acerca de Cristo e sua Mensagem, chamamos de ‘Estratégia Antiga de Satanás’, devido ao fato deste sempre querer colocar em dúvidas a Palavra de Deus (Gn. 3: 1-7/ Mt. 4:1-12). 

                          Sabemos que os propagadores desses “Novos Evangelhos”, nada provam acerca das datas e autoria desses Evangelhos. São incapazes de tirar conclusões sólidas, confiáveis e inequívocadas dos textos incompletos e danificados desses livros, as lacunas desses evangelhos servem apenas de embaraço entre os debatedores que defendem esses evangelhos, as lacunas servem também para seus ‘ilustres’ defensores inventarem palavras que não foram ditas e textos contraditórios.     
            
              Diante desta colocação de Paulo podemos Descartar esta onda de evangelhos apócrifos, e outros evangelhos grotescos e suspeitos existentes e vem surgindo.

Um Evangelho Autêntico e Confiável

Conforme nos transmitiram os que desde o principio foram deles Testemunhas Oculares e Ministros da Palavra...

                                            O Evangelista Lucas teve o cuidado e o prazer de visitar e entrevistar pessoas próximas de Cristo, ele ouviu pessoas que estavam com Cristo desde o Principio de seu nascimento. Visitou Maria a mãe de Jesus, para ouvir detalhes de sua gravidez e a Mensagem do Anjo Gabriel, Registrou o dia que Maria visitou a casa de Zacarias e Isabel estando Isabel gestante aguardando João Batista, buscou informações do dia da Apresentação de Cristo no Templo, buscando informações sobre Simeão e Ana.  O Evangelista deu prioridade de ouvir as pessoas que foram testemunhas oculares, que viram de perto fatos que ocorreram durante a Vida e o Ministério de Jesus. Como prova disso, a maioria dos Relatos de Lucas não se encontram em outros Evangelhos. Lucas nos oferece detalhes exclusivos que somente um conjunto de pessoas muito próximas de Jesus poderia nos passar. 

                                            Este Evangelista não procurou quaisquer pessoas para ouvir relatos de Cristo, ao contrário além de Testemunhas Oculares que vivenciaram com Cristo procurou Ministros da Palavra de Deus, os apóstolos, que conheciam em profundidade a Mensagem de Cristo. O que faz com que o Evangelho de Lucas seja riquíssimo em detalhes e informações precisas, claras e confiáveis.  É um Evangelho Autentico Veraz e Inspirado, que o Cânon aceitou pelo fato do Livro atender as regras de Fé. 
Igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem...

                                            Aqui está demonstrado o zelo do escritor, depois de acurada investigação, quer dizer: Profunda Pesquisa, Investigação Perfeita e Diligente desde sua Origem. Ele fica atento ao que aconteceu depois da Boa Nova do Anjo acerca do Nascimento de Cristo, o que Maria fez enquanto estava grávida. Procurou o inicio de tudo para que a pessoa que leia este Evangelho tenha convicções e elimine todas as suas dúvidas sobre Cristo Jesus e sua Mensagem.     

                   Dar-te por Escrito... 

                                            Para que ficasse registrado de uma vez por todas, e jamais se perdesse. Teófilo teve o cuidado de guarda este Evangelho com muito esmero, o que permitiu nosso acesso a esse escrito tão precioso. A Preservação deste Evangelho indica a Excelência de Teófilo. O que nos evidencia que Teófilo tinha uma afeição especial por Cristo Jesus, uma fome e sede espiritual de saber mais do Senhor Jesus. Teófilo deveria possuir uma Biblioteca mantida em segurança, devido às perseguições que o Cristianismo sofreu em seu tempo. Também deveria ser de elevado cargo, Lucas se dirige a ele como Excelente Teófilo.  Vale salientar aqui que o livro de Atos dos Apóstolos é associado ao Evangelho Segundo Lucas num só compendio.
   
Para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído...

                          Para que alguém tenha plena certeza das verdades é preciso que no relato não haja inverdades, não pode haver dúvidas, fontes inseguras, informações deturpadas, invenções, fantasias etc. Sabendo disso Lucas se encarregou de escrever somente verdades fundamentadas em fatos concretos. Fatos que facilmente seriam aceitos e aprovados por Ministros do Evangelho como Paulo, Pedro, João, Mateus, Marcos e outros. Acontecimentos com várias testemunhas oculares, com nomes e lugares que não poderiam ser contestados pela Igreja e seus seguidores.

                                            Quando Lucas relata o encontro de Maria com Isabel aponta o grau de parentesco (prima) diz onde habitavam: na região montanhosa da cidade de Judá (Lc. 1: 39) revela o turno de trabalho de Zacarias no templo (Lc. 1:5) e se importou de saber a Vida de Testemunho dos envolvidos com a história de Cristo (Lc. 1:6/ Lc. 2: 25/Lc 2: 36-38 etc.) A fim de instruir Teófilo e qualquer leitor. Lucas reuniu relatos verdadeiros, concretos, com provas irrefutáveis. 
                          Na questão de Genealogia para que ninguém pudesse contestá-la fez uma Genealogia até o inicio: Aglomerando Adão e Deus (Lc 3: 23-38). Teófilo guardou em suas mão fontes seguras da Vida, do Ministério de Cristo e dos Atos dos Apóstolos (At.1: 1) e a Igreja Primitiva se encarregou de reproduzir cópias com fidelidade e assim espalhar para todos. Dessa Maneira os Ensinos de Jesus se propagava em todas as camadas da sociedade em todos os lugares do Mundo antigo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que Jesus Cuspiu antes de curar o Cego?

Mensagem com base em João 9: 1-23


I – Qual causa da Cegueira do Homem?
 Este nascera cego curiosamente para Glória de Deus, os discípulos procuravam uma causa para a cegueira e perguntaram: “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?”. Fizeram a pergunta possivelmente com base em Êxodo:
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.Êxodo 20:4-5
1)Cegueira como maldição hereditária, por parte dos pais; 2)Cegueira Por causa dos próprios pecados. 3)Cegueira para que se Manifeste as Obras de Deus
Jesus descartou as duas primeiras possibilidades, com seguinte resposta:
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
João 9:2-3
              O Homem era cego para que em hora oportuna se manifestasse nele a Obra de Deus.

II – Jesus contrariando os Homens                                    …

Hagar e Ismael no Deserto- Deus Ouve

(Texto Gn. 21; 14-21)                              Abraão levanta pela madrugada, toma pão e um odre de água, dá para Hagar colocando as coisas no ombro dela, pega o menino de aproximadamente 17 anos entrega-o para Hagar e despede a ambos, e despede. Hagar sai uma direção definida no deserto de Berseba, e sai errante. (Gn. 21; 14)
                         Uma dor e uma confiança tremenda dentro de Abraão. Ele sabia que nem Hagar e nem Ismael iriam morrer no deserto, porque Deus havia lhe garantido que faria de Ismael uma grande nação, e para isso Deus supriria todas as necessidades.                          Por outro lado Sara sua esposa estava muito incomodada, com o desprezo de Ismael em relação à Isaque, estava surgindo um clima muito comprometedor entre Ismael e Isaque, o que poderia cedo ou tarde gerar graves conseqüências. O próprio Deus aceitou a proposta de Sara, porque Deus havia traçado um Propósito na vida de Ismael à parte da casa de Abraão. Mais tarde tudo indica que casa de…

Zacarias, pai de João Batista- Parte 1 (Personagens Bíblicos)

Dados Gerais sobre Zacarias, pai de João Batista  

A postagem visa facilitar estudos sobre a pessoa exemplar de Zacarias, pai de João Batista, deixando claro, logo no principio que admite -se cópias desta postagem desde se cumpra as normas dos Direitos Autorais.

Zacarias (do hebraico זְכַרְיָה, Zekariyah, "Deus se lembrou")