Pular para o conteúdo principal

MATANÇA DOS INOCENTES FÁBULA OU FATO?

A Matança dos Inocentes


Ateus sem respaldos históricos e pessoas que visam sem algum motivo justo aparente, colocar a Bíblia em xeque, usam várias passagens da Bíblia com a finalidade de “desmenti-la” em blogs, sites em redes sociais... Material visando ou colocando em dúvidas a veracidade e autenticidade da Bíblia.

Um dos assuntos que encontrei por acaso foi sobre a “Matança dos Inocentes”, onde o autor do Blog se identificava como um ateu. Lá ele colocou o seguinte tema: A fantasiosa “matança dos inocentes”, seu material encontrou eco em alguns sites do mesmo ramo.

Ele procurava colocar em xeque a narrativa de S.Mateus sobre o “Massacre dos Inocentes”, infanticídio cometido sob o comando do lunático e cruel rei Herodes, que em sua biografia consta que o mesmo mandou matar uma de suas esposas e pelo menos dois de seus filhos Alexandre e Aristóbulo.

Ao introduzir o assunto ele afirma que a Morte de milhares de recém-nascidos seria um crime hediondo demais para não ser mencionado pelos escritores antigos. Vale lembrar que o texto sagrado não relata que foram milhares de crianças mortas. 


 Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos.

Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz:

Em Ramá se ouviu uma voz, Lamentação, choro e grande pranto: Raquel chorando os seus filhos, E não quer ser consolada, porque já não existem.


1.      Escritor Antigo e escritor Apócrifo relatam a “Matança dos Inocentes”  

Ou por ignorância ou por alguma razão desconhecida o autor deixa de citar alguns fatos sobre o Massacre dos Inocentes ordenado por Herodes, o grande. Cito aqui alguns desses fatos:

A Matança dos Inocentes é mencionada em obra Apócrifa que segundo Lisandro, nenhuma obra apócrifa ou escritor antigo citaram o Massacre dos Inocentes.

  • Protoevangelho de Tiago (Escritor Apócrifo)

“E quando Herodes soube que ele havia sido zombado pelos Magos, em fúria ele enviou assassinos, dizendo-lhes: Matem as crianças de até dois anos de idade. E Maria, tendo ouvido que as crianças estavam sendo mortas, ficou com medo, tomou o menino e o enfaixou, escondendo-o num curral. E Isabel, tendo ouvido que eles estavam procurando por João, tomou-o e o levou para as colinas, procurando um lugar para escondê-lo. ” (Proto Evangelho de Tiago escrito por volta de 150 d.C)

 

·         Escritor Antigo

Um autêntico e Antigo Escritor chamado Ambrósio Teodósio Macróbio (cerca. 395 - 423 d.C.) escreveu em sua Saturnalia:

“Quando ele [imperador Augusto] ouviu que entre os meninos da Síria com menos de dois anos de idade que Herodes, o rei dos judeus, tinha mandado matar, seu filho também havia sido morto, ele disse: 'é melhor ser o porco de Herodes do que seu filho'.”

2.      Vale algumas observações importantes:

·         Nenhum historiador antigo e de renome contesta o Relato de Mateus  sobre a Matança ou Massacre dos Inocentes.

 

·         Flávio Josefo dá uma pista sobre a Personalidade de Herodes

"Ele nunca parou de vingar e punir diariamente os que tinham escolhido estar ao lado de seus inimigos"

·         Na Arte o “Massacre dos Inocentes” foi retratado como um fato histórico e não como uma fantasia ou fábula.

 

Massacre dos Inocentes.
Por Nicolas Poussin (1634), no Museu Condé, em Chantilly.



Tais evidências acima impossibilitam o relato de Mateus como uma “lenda”, ficção, marketing ou qualquer invenção do cristianismo.



3.      Erros grosseiros de Lisandro Hubris?

Jamais, Cristo Jesus pode ser encarado como um mito, ou lenda, ou qualquer coisa semelhante, quando os fatos históricos o apontam como uma pessoal real e não fictícia. Do mesmo modo a farta documentação histórica dentro e fora do Cristianismo nos convence que de fato Jesus Cristo existiu e ainda hoje está vivo em cada um e nós.

Ao citar Mitra Enoz escritor contestado como uma de suas fontes, Lisandro Hubris é falho por se apoiar em escritores incautos, deixando de lado fontes históricas seguras e autenticas.

Outro erro grave de Lisandro Hubris e confundir a História de Jesus com a lenda Hindu de Krishna (Vishnu). Quando alguém não consegue distinguir lenda de fato históricos, isso denuncia falta de informação (ignorância) ou tentativa de manipulação de seus leitores.

Escritores antigos e autênticos como Plínio, o Jovem, (que viveu entre os anos 62 e 113, e foi sub-pretor da Bitínia), Flávius Josephus 33 d.C. a 100d.C. (que NÃO relatou todas as façanhas de Herodes, o grande); citados por Lisandro Hubris para negar o Massacre dos Inocentes, apenas fortalecem a tese que Cristo é uma pessoa real e não uma lenda.

Do mesmo modo tais escritores não afirmam e nem negam a Matança dos Inocentes cometida por Herodes, portanto, não podem servir de base para negá-la, SE porventura o escritor cristão Mateus estivesse mentindo, outro escritor como os supracitados não desmentiriam Mateus?

Nenhuma lenda conta com genealogia tão ampla como o personagem histórico chamado Jesus Cristo de Nazaré. Sua linhagem conta com pelos menos dois reis famosos Davi e Salomão, e personagens históricos como Abraão, Isaque e Jacó ancestrais que deram origem a atual nação de Israel (povo judeu).

Se Cristo Jesus fosse um mito não possuía uma genealogia tão popular e ao mesmo tempo tão rica em historicidade e personagens reais.


4.      Cristo um fato Histórico, uma Realidade presente?

É mais fácil provar que Cristo Jesus existiu do que provar a Existência de Alexandre, o grande, e o imperador Julio César, onde as fontes são bastante escassas. Cito aqui breve e resumidas fontes históricas que comprovam a existência de Jesus.


·         Justino, o Mártir

O Nome de Cristo é citado por grandes historiadores da antiguidade como Justino Mártir que apresenta Cristo um Deus com virtudes e como um excelente Carpinteiro residente em Nazaré. Segundo Justino, as mobílias fabricadas por Cristo ainda eram vendidas e procuradas como preciosas relíquias na altura do século II.

·         Públio Cornélio Tácito no Analles, cita a Paixão de Cristo:

Por conseguinte, para se livrar do relatório, Nero colocou a culpa e infligiu as mais requintadas torturas em uma classe odiada por suas abominações, chamados cristãos pela população. "Christus", de quem o nome teve sua origem, sofreu a penalidade extrema durante o reinado de Tibério às mãos de um de nossos procuradores, Pontius Pilatus, e uma superstição mais perniciosa, portanto, marcada para o momento, mais uma vez surgiu não só na Judeia, a primeira fonte do mal, mas mesmo Roma, onde todas as coisas horríveis e vergonhosas de toda parte do mundo encontram o seu centro e se tornam populares. Assim, a prisão pela primeira vez feita de todos os que se declararam culpados, em seguida, sobre as suas informações, uma imensa multidão foi condenada, não tanto do crime de incendiar a cidade, mas como de ódio contra a humanidade. 


  • Plínio, o Jovem

...[os cristãos] têm como hábito reunir-se em um dia fixo, antes do nascer do sol, e dirigir palavras a Cristo como se este fosse um deus; eles mesmos fazem um juramento, de não cometer qualquer crime, nem cometer roubo ou saque, ou adultério, nem quebrar sua palavra, e nem negar um depósito quando exigido. Após fazerem isto, despedem-se e se encontram novamente para a refeição... (Plínio, Epístola 96).

·         Flávio Josefo ( 37 d.C. até o ano 100)

Refere-se a Jesus em seu livro Antiguidades Judaicas, livro 18, parágrafos 63 e 64, escrito em 93, da seguinte maneira:
"Havia neste tempo Jesus, um homem sábio [, se é lícito chamá-lo de homem, porque ele foi o autor de coisas admiráveis, um professor tal que fazia os homens receberem a verdade com prazer]. Ele fez seguidores tanto entre os judeus como entre os gentios. [Ele era o Cristo.] E quando Pilatos, seguindo a sugestão dos principais entre nós, condenou-o à cruz, os que o amaram no princípio não o esqueceram; [ porque ele apareceu a eles vivo novamente no terceiro dia; como os divinos profetas tinham previsto estas e milhares de outras coisas maravilhosas a respeito dele]. E a tribo dos cristãos, assim chamados por causa dele, não está extinta até hoje."



5.      O Ano do Nascimento de Cristo


Todos sabem que o calendário Juliano cometeu um erro de calculo de aproximadamente 04 a 06 anos. Isso faz com o ano do nascimento de Cristo volte no tempo de 04 a 06 anos coincidindo com o tempo do reinado do rei Herodes.

Segundo fontes, entre elas cito a mais popular, a Wikipédia o Rei Herodes morreu por volta do ano 04 e não do ano 06 como declara Lisandro Hubris.

A Urântia aponta como data do Nascimento de Cristo o dia 21 de Agosto do Ano 07 a.C. Se esta data estiver correta, pode se deduzir que no ano 6 d.C. Herodes ordenou a Matança dos Inocentes, estando o menino Jesus com cerca de 1 ano de idade. Por motivo de cautela, Herodes ordem à morte de crianças abaixo de dois anos. Obrigando José e Maria fugirem para o Egito.  

A Wikipédia informa que Herodes Arquelau assumiu o trono por volta do ano 04 a.C. Daí José e Maria retornam do Egito com o menino Jesus e residem na pequena e discreta cidade de Nazaré, conforme o texto Sagrado abaixo.



¶ Morto, porém, Herodes, eis que o anjo do Senhor apareceu num sonho a José no Egito,
Dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e vai para a terra de Israel; porque já estão mortos os que procuravam a morte do menino.
Então ele se levantou, e tomou o menino e sua mãe, e foi para a terra de Israel.
E, ouvindo que Arquelau reinava na Judéia em lugar de Herodes, seu pai, receou ir para lá; mas avisado num sonho, por divina revelação, foi para as partes da Galiléia.
E chegou, e habitou numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado Nazareno.
Mateus 2:18-23



CONCLUSÃO: 


A Matança dos Inocentes é um fato histórico com provas infindas. 

Comentários

  1. O engraçado aqui é um cara dizer "nenhum historiador contestou o relato de Mateus - escrito décadas depois do suposto fato ocorrido - enquanto que nenhum historiador da época da matança relatou-a.
    E somente no evangelho de Mateus aparece esse conto. Mas como crentes tem o senso crítico afetado, fazer o quê né...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum historiador contemporâneo de Mateus, nem mesmo Flavio Josefo o qual não era cristão contestou o relato de Mateus sobre o massacre dos Inocentes.
      Flávio Josefo conta-nos de Herodes: mandou asfixiar seu cunhado Aristóbulo quando este alcançou grande popularidade (Antiguidades Judaicas, 15 & 54-56), assassinou seu sogro Hircano II (15 & 174-178), outro cunhado, Costobar (15 & 247-251), sua mulher Marianne (15 & 222-239); nos últimos anos de sua vida, mandou assassinar seus filhos Alexandre e Aristóbulo (16 & 130-135), e cinco dias antes de sua própria morte, outro filho, Antipatro (17 & 145); finalmente, ordenou que, na iminência da sua morte, fossem executados uns notáveis do reino para que o povo da Judéia, querendo ou não, chorassem a morte de Herodes (17 & 173-175).
      Seria impossível Herodes cometer tal atrocidade?

      Excluir

Postar um comentário

MODERAÇÃO NOS COMENTÁRIOS, OS COMENTÁRIOS DE ANÔNIMOS NÃO SERÃO PUBLICADOS.

Postagens mais visitadas deste blog

Por que Jesus Cuspiu antes de curar o Cego?

Mensagem com base em João 9: 1-23


I – Qual causa da Cegueira do Homem?
 Este nascera cego curiosamente para Glória de Deus, os discípulos procuravam uma causa para a cegueira e perguntaram: “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?”. Fizeram a pergunta possivelmente com base em Êxodo:
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.Êxodo 20:4-5
1)Cegueira como maldição hereditária, por parte dos pais; 2)Cegueira Por causa dos próprios pecados. 3)Cegueira para que se Manifeste as Obras de Deus
Jesus descartou as duas primeiras possibilidades, com seguinte resposta:
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
João 9:2-3

              O Homem era cego para que em hora oportuna se manifestasse nele a Obra de Deus.

II – Jesus contrariando os Homens                                    …

Hagar e Ismael no Deserto- Deus Ouve

(Texto Gn. 21; 14-21)                              Abraão levanta pela madrugada, toma pão e um odre de água, dá para Hagar colocando as coisas no ombro dela, pega o menino de aproximadamente 17 anos entrega-o para Hagar e despede a ambos, e despede. Hagar sai uma direção definida no deserto de Berseba, e sai errante. (Gn. 21; 14)
                         Uma dor e uma confiança tremenda dentro de Abraão. Ele sabia que nem Hagar e nem Ismael iriam morrer no deserto, porque Deus havia lhe garantido que faria de Ismael uma grande nação, e para isso Deus supriria todas as necessidades.                          Por outro lado Sara sua esposa estava muito incomodada, com o desprezo de Ismael em relação à Isaque, estava surgindo um clima muito comprometedor entre Ismael e Isaque, o que poderia cedo ou tarde gerar graves conseqüências. O próprio Deus aceitou a proposta de Sara, porque Deus havia traçado um Propósito na vida de Ismael à parte da casa de Abraão. Mais tarde tudo indica que casa de…

Cabelo da Mulher Cristã- Nove (09) Lições Bíblicas

Referencias: 1ª Co. 11:4-15/ 1ª Tm. 2: 9,10/ 1ª Pe. 3: 1-3

                           Três passagens bíblicas utilizadas por “teólogos” radicais, com estilo farisaico, para proibir as tranças, cortes e frisados nos cabelos, além do uso de jóias.  Mas em destaque nesta postagem, é o cabelo da Mulher Cristão. Temos postagens que tratam do uso de jóias nos seguintes sites:
Deus condena o uso de Jóias?  
http://prjefersonfabiano.blogspot.com.br/2011/10/deus-condena-o-uso-de-joias.html
O Uso de Jóias segundo Paulo e a Bíblia
http://prjefersonfabiano.blogspot.com.br/2013/01/o-uso-de-joias-segundo-paulo-e-biblia.html
Nove Lições sobre o Cabelo da Mulher Cristã segundo a Bíblia:
1.Cabelo longo da mulher cristã lhe é Honroso 2.Cabelo tosquiado/rapado na mulher cristã é Desonroso 3.Cabelo longo da mulher é sinal de poderio sobre os anjos 4.Cabelo longo em lugar do véu 5.Um traje modesto com pudor é mais importante que uma trança atraente 6.O Enfeite interior da mulher cristã vale mais do que um enfe…