Pular para o conteúdo principal

Batismo com o Espírito Santo e com Fogo - parte II


“... Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias; este vos batizará com o Espírito Santo e com Fogo” (Lc. 3: 16).

                                               Jesus não Batizava ninguém com água (Jo. 4: 2) deixou esta tarefa para os homens, todavia Jesus Batiza com o Espírito Santo e com Fogo, é um trabalho em conjunto Jesus e o Espírito Santo Batizando.  Geralmente nos locais de Batismo ficam dois obreiros batizando as almas, neste caso Jesus e o Espírito Santo trabalham em parceria, para Batizar com Fogo. Este Batismo com Fogo é defendido no meio teológico como o Batismo no Espírito Santo, é o Dom de Variedade de Línguas.

“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil... / ... e a outro a Variedade de Línguas, e a outro a interpretação de Línguas”.
(1ª Co. 12: 7, 10)
                         
                                        Falar noutras Línguas, ou a Glossolalia (gr. Glossais lalo) é falar numa língua que nunca aprendeu (1ª Co. 14: 14,15) esta língua pode ser nativa ou angelical (1ª Co. 13:1) o Espírito Santo determina (At. 2:4). Variedade de Línguas indica várias línguas, pode ser angelical ou nativa. Vêm à necessidade de buscar o Dom de Interpretação de Línguas.       

                                         De inicio vamos tirar uma pequena dúvida: Qual a pronuncia correta Batismo Com o Espírito Santo ou Batismo No Espírito Santo? A preposição Com em grego é en que se traduz como Em ou Com. Por outro lado Batismo no Espírito Santo equivale a ser cheio do Espírito Santo (At. 2:4) Alguns preferem pronunciar Batismo no Espírito Santo, porém há outros que preferem pronunciar Batismo com Espírito Santo, as duas pronuncias estão corretas.

Língua Nativa e Língua Angelical

                                            O Batismo com Espírito Santo acontece com uma expressão verbal e audivel do Espírito Santo, essa expressão verbal geralmente é a ocorrência de Outras Línguas: podem ser Nativas ou Angelicais, (1ª Co. 13: 1) nesta ocorrência pode haver Mensagens Proféticas (At. 19: 6) cânticos de louvores a Deus. O Falar em outras Línguas pode ser Angelical ou Nativo, a Língua estranha ao conhecimento dos homens é a Língua angelical. Por causa dessa manifestação de Língua Angelical, Deus concede o Dom de Interpretação de Línguas. Se Dom de Línguas estivesse limitado a Fala Nativa (Língua dos Homens) descartava-se o Dom de Interpretação de Línguas, a Solução era simples, bastava fazer cursos de línguas estrangeiras para traduzir as línguas doadas pelo Espírito Santo.       

                                            Admitimos que às vezes o Espírito Santo conceda o Dom de Línguas, com a Fala Nativa, como ocorreu em Atos 2, os crentes ali falavam a Língua dos Homens (nativa), pregando para os Cretenses, Partos, Elamitas, e outros estrangeiros sem conhecer o idioma deles. Uma Ação Miraculosa e necessária do Espírito Santo àqueles povos para a expansão do Evangelho. Havendo necessidade de transmissão de uma mensagem para uma pessoa de outro idioma, o Espírito Santo por meio Dom de Variedade de Línguas pode fazer uma pessoa de Língua Portuguesa pregar fluentemente em francês para um francês. Atualmente não há essa necessidade, na maioria dos casos, pois a Mensagem de Cristo está sendo pregando em todos os momentos em todos os idiomas via Internet, Livros, rádios, Tevê...    

Não é um Estado de Êxtase

                                            O Dom de Variedade de Línguas não é uma manifestação estática, quando o individuo fica em estado de êxtase, inconsciente do que está fazendo, fora de controle, pelo contrario, o crente fica em perfeito estado de consciência, controlado sem ferir a si ou aos outros, sem escandalizar. Todavia via demonstra sua alegria, como um ser emocional, com gestos variados em louvores ao Verdadeiro Deus, sem causar transtornos ao culto de adoração a Deus.

                                            Cabe a Igreja procurar todos os Dons Espirituais, mas principalmente os Dons de: Profecia, de Discernimento de Espírito e o Dom de Interpretação de Línguas. (1ª Co. 12: 10/1ª Co. 14/Pv. 29: 18) Quando a Igreja identifica (Discerne) o Espírito e Interpreta a Língua conforme o Espírito fica mais fácil administrar a situação, caso o contrário a situação pode complicar. 

                                            Quem alcança o Dom de Variedade de Línguas edifica a si mesmo, a menos que profetize, profetizando edifica a Igreja (1ª Co. 14: 3,4) Com o Dom de Discernimento de Espírito a Igreja consegue com facilidade saber quando o Manifestar é do Espírito de Deus, ou do Espírito Humano, ou ainda do Espírito Maligno. No Plano de Cristo está os Dons do Espírito Santo na Igreja e nos crentes. (Mt. 3: 11/ Éf. 4:8). 

Cessaram os Dons de Línguas e Profecia?

Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar.
Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.
E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.
E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara?
Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?
Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar.
Há, por exemplo, tanta espécie de vozes no mundo, e nenhuma delas é sem significação.
Mas, se eu ignorar o sentido da voz, serei bárbaro para aquele a quem falo, e o que fala será bárbaro para mim.
Assim também vós, como desejais dons espirituais, procurai abundar neles, para edificação da igreja.
Por isso, o que fala em língua desconhecida, ore para que a possa interpretar.
Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto. 
1 Coríntios 14:1-14


                                            Algumas Igrejas Ociosas Espiritualmente decidiram banir o Batismo no Espírito Santo entre os seus membros, e automaticamente fizeram cessar o Dom de Profecia, o Falar em outras línguas requer uma busca mais intensa do Poder de Deus, como prova disso Paulo exorta a Igreja de Coríntios a buscar os Dons de Interpretação de Línguas e o Dom de Profecia (1ª Co. 14: 13,39). Não basta o Dom de Variedade de Línguas é necessário junto com este o Dom de Interpretação de Línguas e Profecia. O Apostolo Paulo incentiva a Igreja a Buscar os Melhores Dons (1ª Co. 12: 31)

                                            Ai algumas Igrejas ociosas decidiram enterrar o Dom de Línguas, por ociosidade de buscar o Dom de Interpretação de Línguas e o Dom de Profecia. Hoje entre os seus membros não há Batismo no Espírito Santo, nem profecia, e muito menos interpretação de Línguas. Desse jeito enterraram não só o Dom de Variedade de Línguas como também o Dom de Profecia e o Dom de Interpretação de línguas. Nesse contexto se cumpri o que está escrito em Provérbios:

“Não havendo Profecia, o povo se Corrompe; mas o que guarda a Lei,
 esse é Bem – Aventurado” (Pv. 29: 18)

                                            Como tentativa para justificar tamanha negligencia diante de Deus e dos Homens, pregam que os Dons de Variedade de Línguas e Profecia e outros Dons Cessaram, somente ocorria nos tempo dos Apóstolos, quando eles morrerão, acabaram-se os Dons, restando apenas a Fé, a Caridade e a Esperança, se limitando para firmar esse ensino herético em 1ª Co. 13: 8-13, deixando de lado o capítulo seguinte 1ª Co. 14: 39 onde está escrito:

                                            Não cessarão os Dons Espirituais e muito menos o Dom de Profecia e Dom de Variedades, concordo que acabaram esses Dons para algumas Igrejas, mas para os seguidores de Cristo os Dons Espirituais prosseguem como nunca, são sinais que demonstram quem são seguidores de Cristo e seguidores de homens e religiões. Veja o que disse Jesus:















“E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome Expulsarão os demônios, falarão novas Línguas... e porão as Mãos sobre os Enfermos e os curarão”.
 (Mc. 16: 17,18)

Quanto ao pegar serpentes e beber alguma coisa mortífera, temos o testemunho de Paulo na Ilha de Malta, por acidente ao recolher alguns gravetos foi picado por uma cobra venenosa, não havia ali socorro médico e Deus lhe deu proteção aniquilando o veneno da serpente em seu corpo. (At. 28: 3-5) Em relação a beber alguma coisa mortífera, não sugiro que alguém tente ao Senhor Deus por aí, mas se por acidente ou inconsciente alguém tomar clamando a Deus com certeza Ele nos auxiliará, temos testemunho de crentes que foram envenenados sem saber e não morreram. (Lc. 10: 18,19)

A Promessa do Batismo com o Espírito Santo e com Fogo

                                              
                                            O Derramamento do Espírito de Deus foi Prometido há mais de 800 anos antes de Cristo. O Rei Salomão escreve: “Convertei-vos pela minha repreensão; eis que abundantemente derramarei sobre vós meu Espírito e vos farei saber as minhas Palavras”. (Pv. 1: 23) a profecia entregue pelo profeta Joel:

“E há de ser que, depois, Derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas, naqueles dias,
derramarei o meu Espírito.” (Jl 2: 28,29)


                                            Primeiro Deus requer Conversão a ELe, com jejum, choro e pranto. Rasgar o coração e não as vestes, congregar numa Igreja onde se busca a santidade (Jl. 2: 12-17) Como recompensa Deus restitui os anos perdidos e Derrama o seu Espírito. Com o Derramar do Espírito Santo o crente fica capacitado para realizar a Obra proposta por Deus (Êx. 31:1-6) O termo derramar, é uma linguagem antropomórfica, quer dizer semelhante. O Modo que o Deus Pai e o Deus Filho trabalham em Conexão com o Deus Espírito Santo é como se estivesse derramando o seu Espírito Santo sobre nós.  João Batista as margens do Jordão lembrava a Promessa da Efusão do Espírito Santo sobre o povo que se rendesse á Cristo em adoração e Fé.

                                            É um prazer para Deus ver o seu povo se converter para assim manifestar no crente o seu Poder através do Espírito Santo em Nome de Jesus Cristo. O Batismo nas águas é uma porta de entrada para o Batismo no Espírito Santo, ou seja, primeiro o crente se arrepende de seus pecados, se santifica e Receber o Batismo com o Espírito Santo e com Fogo. (Mt. 3: 11 / Lc. 3: 16/ Jo. 1: 33).

                                            Variedade de Línguas é um Dom de Deus concedido pelo Espírito Santo (1ª Co. 12: 10,11) e ninguém e muito menos a Igreja pode impedir (1ª Co. 14: 39) Falar em Línguas estranhas é visto como um sinal do Batismo no Espírito Santo (At. 2: 4/At. 10: 45,46/ At. 19: 6) Paulo ensina que à medida que umas duas ou três pessoas Falando em Línguas Estranhas, nesse caso necessitam de Interpretação, se não houver alguém com o Dom de interpretação de Línguas, cada um fale consigo mesmo e com Deus (1ª Co. 14: 27,28). Com o Dom de Profecia é semelhante falem dois ou dois profetas e os outros julguem, daí a necessidade do Dom de Discernimento de Espírito para fazer esse Julgamento. As Orientações de Paulo sobre o uso dos Dons estão descritas em 1ª Co. 14: 26-40.                                  

                                            Na Bíblia o Fogo simboliza Juízo de Deus como exemplo disto a Destruição de Sodoma e Gomorra (Gn 19: 24/ Mt. 25: 41) Sinaliza resposta de Deus (1ª Rs. 18: 36-38/ 1ª Cr. 21: 26) encontramos o Fogo como agente Purificador (Nm. 31: 23) simboliza Sinal da Presença e do Poder de Deus (At. 7: 30/At. 2: 4) as línguas repartidas como de fogo evidenciam a Presença e o Poder de Deus sobre aqueles crentes (At.2: 3). Temos a garantia que seremos Batizados com o Espírito Santo é com Fogo (línguas estranhas) logo após o nosso Arrependimento (Mc. 1:8/ At. 2: 3-5) Todos Cristãos genuínos precisam Buscar o Batismo no Espírito Santo (Is. 44: 3/Mt. 5: 6/Mt. 6: 33/ Jo. 7: 37-39) Acontece de uma pessoa ser Batizada com o Espírito Santo e mais tarde deixar de falar em Línguas. O Batismo no Espírito Santo como uma semente que precisa ser cultivada e constantemente regada com oração. É como uma plantinha que precisa de cuidados, se não houver esses cuidados, quero dizer uma vida de consagração ao Senhor, uma vida de comunhão com Deus, nos abastece de derramamento do Espírito, assim não apenas haverá o Falar em Línguas, mas também haverá a manifestação de outros Dons Espirituais (At. 4: 8,31/At. 13:9/Ef. 5: 18). Caso não haja uma vida de Consagração e Comunhão com Deus a manifestação dos Dons cessarão.

                                            O Batismo com o Espírito Santo abre a porta para os Dons, o Dom de Profecia é o mais comum (At. 2:4, 17/At. 10: 46/ 1ª Co. 12: 4-10/ 1ª Co. 14:2, 15) O Batismo no Espírito Santo faz um convite para a Santidade (Jo. 16: 8/ At. 1: 8/ Jo. 16: 13,14/ At. 4: 33) Incentiva uma vida de Comunhão com Deus (At. 2: 41,42/ At. 3:1/ At. 4: 23-31/ At. 6: 4/ At. 10: 9/ Rm. 8: 26) Mais zelo pela Palavra de Deus (Jo. 16: 13/ At. 2: 42).


Regras Básicas para alcançar o Batismo com o Espírito Santo

“Porque, na verdade, João Batizou com água, mas vós sereis Batizados
com o Espírito Santo, não muito depois destes dias” (At. 1: 5)
 
                                          Deus tem pressa de Batizar o Crente no Espírito Santo, basta que o crente dê os seguintes passos:

- Arrependimento: Sentir pesar por um mal cometido, mudar de procedimento, procurar abandonar as velhas praticas pecaminosas;
- Batismo nas Águas, demonstração pública que se arrependeu de seus pecados; sepultou o velho homem, se banhou nas águas Batismais, limpando-se se seus pecados; é obvio que pode alguém receber o Batismo com o Espírito Santo antes do Batismo nas águas.
- Sair do meio da geração Perversa, conviver mais com os Crentes do que com os ímpios, é lógico que vamos trabalhar normalmente e viver com pessoas ímpias, mas não iremos viver na impiedade como elas;
- Obediência a Deus, envolver conhecer a Palavra de Deus e a Mensagem de Cristo para viver em conformidade com ela e anuncia-la;

                                      Texto Base: (At. 2: 38- 41/ At. 5: 32/ At. 8: 12-17)

- O Batismo com o Espírito Santo pode vir por imposição de mãos. Atos 19:6
- O Batismo no Espírito Santo pode vir acompanhado com Dom de Profecia, (1ª Co. 14: 5,6. 13-17);
- O Batismo no Espírito Santo pode vir antes do Batismo nas águas (At, 10: 45,46)
- A Língua pode ser Nativa ou Angelical (1ª Co. 13: 1,2/ At. 2: 4, 7,8)

As Naturezas das Línguas Estranhas

                                            A Língua Estranha pode ser de Natureza Humana, o ser humano pode imitar algumas palavras das Línguas Estranhas. O Maligno e seus demônios também tentam imitar as Línguas Estranhas. (Mt. 7: 22,23/ 2ª Ts. 2: 9) Normalmente essa língua estranha pode agir em pessoas que duvidam da Bíblia e não Obedecem a Palavra de Deus, e em pessoas que não se dedicam somente a Cristo, (1ª JO. 3:6-10/ 1ª Jo. 1-3/ Mt. 24: 11- 24) Devemos tomar cuidado! O Dom de Interpretação de Línguas e o Dom de Discernimento ajudam a identificar a Natureza das línguas Estranhas. (1ª Co. 14:1-5)

                                            Na Bíblia encontramos o Dom de Línguas Estranhas o qual é descrito como um Dom de Deus (1ª Co. 12: 4-10) neste caso é de Natureza Divina, concedida por Deus, e não pelos homens e muito menos pelo diabo e seus demônios. Com os Dons de Variedade de Línguas, Dom de Interpretação de Línguas e o Dom Discernimento de Espírito, com estes Dons podemos Orar (1ª Co. 14: 2-4) nesta oração pode haver cânticos de louvores ao nosso Deus (1ª Co. 14: 12-15, 28).  

Comentários

  1. A Paz do senhor pr.Jeferson muito forte essas mensagens glorias a Deus pela sua vida, Deus e fiel,por isso eu o Amo por isso eu busco esta presença Gloriosa constantimente, e o que nós da força pra sseguir avante fica na P az do S enhor amem.

    ResponderExcluir
  2. http://www.youtube.com/watch?v=sXRx7eXvv38

    ResponderExcluir
  3. A explicação foi a mas completa que encontrei até hoje, além de ter o total respaldo bíblico teve o apelo no fim para aquele que não é cristão... sensacional!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MODERAÇÃO NOS COMENTÁRIOS, OS COMENTÁRIOS DE ANÔNIMOS NÃO SERÃO PUBLICADOS.

Postagens mais visitadas deste blog

Por que Jesus Cuspiu antes de curar o Cego?

Mensagem com base em João 9: 1-23


I – Qual causa da Cegueira do Homem?
 Este nascera cego curiosamente para Glória de Deus, os discípulos procuravam uma causa para a cegueira e perguntaram: “Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?”. Fizeram a pergunta possivelmente com base em Êxodo:
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.Êxodo 20:4-5
1)Cegueira como maldição hereditária, por parte dos pais; 2)Cegueira Por causa dos próprios pecados. 3)Cegueira para que se Manifeste as Obras de Deus
Jesus descartou as duas primeiras possibilidades, com seguinte resposta:
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
João 9:2-3
              O Homem era cego para que em hora oportuna se manifestasse nele a Obra de Deus.

II – Jesus contrariando os Homens                                    …

Hagar e Ismael no Deserto- Deus Ouve

(Texto Gn. 21; 14-21)                              Abraão levanta pela madrugada, toma pão e um odre de água, dá para Hagar colocando as coisas no ombro dela, pega o menino de aproximadamente 17 anos entrega-o para Hagar e despede a ambos, e despede. Hagar sai uma direção definida no deserto de Berseba, e sai errante. (Gn. 21; 14)
                         Uma dor e uma confiança tremenda dentro de Abraão. Ele sabia que nem Hagar e nem Ismael iriam morrer no deserto, porque Deus havia lhe garantido que faria de Ismael uma grande nação, e para isso Deus supriria todas as necessidades.                          Por outro lado Sara sua esposa estava muito incomodada, com o desprezo de Ismael em relação à Isaque, estava surgindo um clima muito comprometedor entre Ismael e Isaque, o que poderia cedo ou tarde gerar graves conseqüências. O próprio Deus aceitou a proposta de Sara, porque Deus havia traçado um Propósito na vida de Ismael à parte da casa de Abraão. Mais tarde tudo indica que casa de…

Zacarias, pai de João Batista- Parte 1 (Personagens Bíblicos)

Dados Gerais sobre Zacarias, pai de João Batista  

A postagem visa facilitar estudos sobre a pessoa exemplar de Zacarias, pai de João Batista, deixando claro, logo no principio que admite -se cópias desta postagem desde se cumpra as normas dos Direitos Autorais.

Zacarias (do hebraico זְכַרְיָה, Zekariyah, "Deus se lembrou")